Crônica de viagem: os mistérios da Ilha de Páscoa

Localizada no meio do Oceano Pacífico, a 3.700 km da costa do Chile, país ao qual está anexada, a Ilha de Páscoa é um desses lugares misteriosos e encantadores do planeta. É famosa internacionalmente por suas estátuas gigantes, os moais, que atraem cerca de 100 mil turistas anualmente. E se você ainda não conhece esse local peculiar, saiba que não é nem muito caro, nem muito difícil chegar lá.

Moais na Ilha de Páscoa - Foto: Tiago Elídio

Se compararmos com a nossa ilha, Fernando de Noronha, que está a apenas uma hora de distância da costa brasileira, os voos para a Ilha de Páscoa têm preços razoáveis em determinadas épocas do ano. Em junho, por exemplo, o trecho de ida e volta, partindo de Santiago, saía em torno de 1.400 reais. A capital chilena, aliás, é o único ponto do continente americano de onde saem voos para lá. E são 5 horas de duração, em um avião de grande porte, estilo voo internacional.

Projeto "Hitu Merahi" de Amala Kamala - Foto: Tiago Elídio

Aterrissando na ilha, você é calorosamente recepcionado pelos locais, ganhando um colar de flores de boas-vindas. Depois começa a conhecer Hanga Roa, o centro habitável da ilha. Logo percebe que é pequeno. Afinal, são cerca de 6 mil habitantes apenas. Entre eles, o francês Steve, que nos buscou no aeroporto e é dono da pousada Chez Steve, que possui um ótimo custo-benefício. Sem falar na sua simpática e animada cachorra de estimação! E fica perto do Ahu Tahai, sítio arqueológico onde está o único moai com olhos da ilha e onde você pode contemplar um belíssimo pôr do sol.

Entardecer em Ahu Tahai - Foto: Tiago Elídio

Um dos pontos de destaque da ilha é o vulcão Rano Kau, que possui um lago em sua cratera. Além disso, em uma de suas margens, está Orongo, uma vila cerimonial onde eram realizados os rituais da corrida do ovo e do culto ao homem-pássaro. Segundo a impressionante história, os chefes dos clãs desciam do penhasco de 300 metros e nadavam 1.400 metros até uma ilhota próxima para buscar um ovo de aves marinhas. O primeiro que trouxesse de volta se tornava o rei da ilha por um ano.

Cratera do vulcão Rano Kau - Foto: Tiago Elídio

A Ilha de Páscoa é, realmente, um lugar com muitas histórias e mistérios. Também chama muito a atenção o fato de os moais, que pesam toneladas, estarem espalhados por toda a ilha, que tem cerca 20 quilômetros de uma ponta a outra. Uma boa dica, aliás, é alugar um carro para se locomover e fazer paradas com tranquilidade para ver as estátuas, inclusive para poder ir ver o nascer do sol no Ahu Tongariki, a plataforma com o maior número de moais da ilha. São 15 deles, incluindo um de 86 toneladas, o mais pesado já erguido. É uma experiência única ver o dia nascer contemplando os moais e sendo contemplados por eles. Quase mágico!

Amanhecer em Ahu Tongariki - Foto: Tiago Elídio

Outro ponto a ser visitado é a praia de Anakena, com águas transparentes e areia branca. No entanto, a temperatura da água não é muito convidativa. Se o dia estiver ensolarado, tudo bem, dá pra encarar. Mas quando aparecem as nuvens e os ventos, daí já fica mais difícil! Ah, e ali também tem moais, claro! Como não?

Praia de Anakena - Foto: Tiago Elídio

Mas o auge da ilha é, sem dúvida, o vulcão Rano Raraku, conhecido como a fábrica de moais, pois foi ali, com as cinzas vulcânicas, que foram feitas as estátuas. É o local da ilha com a maior concentração de moais. Você pode observá-los em vários estágios de produção. Há os que estavam sendo esculpidos e estão inacabados, os que foram abandonados e estão caídos, os que estão com o corpo enterrado e só a cabeça à mostra... Enfim, moais e mais moais. Simplesmente incrível!

Rano Raraku, a "Fábrica de Moais" - Foto: Tiago Elídio

Além destes lugares, outros pontos que merecem a visita são: Ana Kai Tangata, caverna com pinturas rupestres, Ana Kakenga, conhecida também como a "Cueva de las Dos Ventanas" (Caverna das Duas Janelas), com belas vistas para o mar, e o "Museu Antropológico", para conhecer mais sobre a história e a cultura da ilha. Ah, você pode também ver uma apresentação do grupo Kari Kari, para ver as músicas e danças típicas. E para fazer todos esses passeios, é recomendável ficar 4 ou 5 noites na ilha.

Ana Kakenga - Foto: Tiago Elídio

E ah, ao chegar no aeroporto, não deixe de comprar o ingresso para acessar os pontos turísticos, pois eles vão te pedir! Custa 80 dólares para turistas estrangeiros. Sim, é um valor bem salgado, mas foquemos na preservação da ilha! E para comer, um restaurante bem agradável e com um preço mais em conta é o Chez Ramon. Os donos são supersimpáticos e a comida é ótima! E para economizar um pouco, vale também comprar coisas no mercado. Afinal, como é uma ilha longínqua, os preços não são os melhores! Mas nada tão exorbitante.

Vista da ilha para o mar - Foto: Tiago Elídio

Como você pode observar, a Ilha de Páscoa (ou Rapa Nui, como chamam os locais) é um lugar pitoresco que vale muito a visita. Ideal para uma viagem em casal ou com amigxs. E como os voos saem de Santiago, uma boa pedida é passar também uns dias na agradável capital chilena. E então se aventurar nos inúmeros mistérios dessa remota e surpreendente ilha! ;)

Por Tiago Elídio

Comentários

Newsletter

Postagens mais visitadas

Facebook